Posts

Curso Criando Paisagens Produtivas com Água de Chuva – Junho/2017

“Água de Janeiro vale dinheiro” – ditado popular

No momento chove no Sudeste. Na verdade, chove há dias, e isso em pleno inverno, o período seco desta região que há pouquíssimo tempo vivia a maior crise de abastecimento hídrico de sua história,

No Distrito Federal, por sua vez, a crise de abastecimento se torna mais crítica:

Brasília entra em estado de emergência ambiental

http://www.metropoles.com/distrito-federal/seca-brasilia-entra-em-estado-de-emergencia-ambiental

Canteiro de obras para captação emergencial no Lago Paranoá começa a ser montado

https://www.agenciabrasilia.df.gov.br/2017/05/18/canteiro-de-obras-para-captacao-emergencial-de-agua-no-lago-paranoa-comeca-a-ser-montado/

Mesmo depois de intenso racionamento, os reservatórios que hoje abastecem o Distrito Federal possuem água para poucos meses de atendimento à população.

Esqueça os padrões habituais do clima, o novo normal são períodos de seca e chuva extremos que vem levando regiões de todo o mundo, depois de também passarem por situações extremas, a criar uma infraestrutura que acolha a água e recrie padrões integros para o ciclo hidrológico, numa abordagem também chamada de infraestrutura verde.

Parte fundamental desta baseia-se na criação de paisagens capazes de reter a Água, e impedir que ela simplesmente escoe. Para isso é preciso pensar como Água. Encontrar nichos onde ela possa ser acolhida, e passar a redesenhar todas novas edificações e espaços, no meio urbano, ou rural, de forma que sejam capazes de rete-la, criando Paisagens Produtivas com Água de Chuva.

Venha aprender a projetar e a construir paisagens vibrantes e resilientes usando telhados verdes e/ou azuis, cisternas, jardins de chuva, lagos, barraginhas, canais de infiltração, e mais!

CURSO: Criando Paisagens Produtivas com Água de chuva

LOCAL: Espaço Almagestum, Pedra Bela/SP

DATA: 16 a 18/Junho/2017

Mais informações: http://www.almagestum.pro.br/single-post/2016/12/03/CURSO-Criando-paisagens-produtivas-com-%C3%A1gua-de-chuva-com-Guilherme-Castagna—16-17-e-18Jun2017

Espero ver muitos de vocês por lá!

Um grande abraço,

Guilherme Castagna

Compartilhe:

Criando paisagens produtivas com água de chuva

Se você enxerga abundância quando vê água de chuva, este curso é para você! Venha aprender a construir paisagens vibrantes usando um conjunto de elementos que recriam a dinâmica de abundância do ciclo hidrológico, na paisagem urbana ou rural. Jardins de chuva, cisternas, pavimentos permeáveis, canais de infiltração, lagos, telhados verdes e mais!

Um curso teórico-prático coordenado por Guilherme Castagna, engenheiro civil, permacultor e ativista, co-idealizador do movimento Cisterna Já e do PermaSampa, com atuação junto à Aliança pela Água. Oferece cursos de manejo integrado de água e de permacultura há mais de 10 anos. Projetou sistemas com capacidade de armazenamento de 200 a 6 milhões de litros, de comunidades em vulnerabilidade social a grandes empreendimentos e indústrias.

Quando: 26 e 27/Nov

Onde: Espaço Almagestum, Pedra Bela/SP

Mais informações:

Fique ligado ainda em outros dois eventos em que iremos participar neste mês:

Compartilhe:

Projeto de Manejo Integrado de Água Pluvial para o Estádio Nacional de Brasília

Celebrando o Dia da Água, compartilhamos um trabalho realizado ao longo de 2012, que exemplifica de maneira única o potencial de transformação de uma edificação desse porte no ciclo hidrológico local.Inspirados pela possibilidade de ampliar o escopo idealizado inicialmente para o projeto, de atender os créditos LEED SS6.1 (redução de escoamento superficial) e SS6.2 (melhoria da qualidade do escoamento superficial) para o entorno do estádio, Fluxus ofereceu uma consultoria que envolveu o desenvolvimento dos projetos técnicos, e a integração do sistema de drenagem externo (também chamado de medidas compensatórias em microdrenagem, ou sistemas urbanos de drenagem sustentável) aos sistemas internos de aproveitamento de água de chuva, coletados a partir da cobertura e da drenagem do campo. Com isso, 100% do consumo não-potável do estádio passará a ser atendido pela água de chuva, um volume de 16 milhões de litros/ano.À parte da redução do consumo interno, o entorno produzirá melhoria significativa de microclima, com a evaporação de água pelas árvores plantadas nas biovaletas, arbustos e plantas de baixo porte nos “planters” e jardins de chuva, além dos volumes evapotranspirados nos “wetlands” e no lago, posicionado de forma a receber água por gravidade para posterior bombeamento para os sistemas internos, e irradiar umidade para o estádio, levado pelos ventos predominantes da região.
FICHA TÉCNICA

Arquitetura: Castro Mello Arquitetura Esportiva

Consultorias:
Certificação LEED: EcoArenas LLC
Comissionamento LEED: M-E Engineers
Paisagismo: Benedito Abbud Arquitetura Paisagística
Stormwater (Manejo Integrado de Água Pluvial): Fluxus Design Ecológico
Instalações: MHA

Local: Estádio Nacional de Brasília, Distrito Federal/DF, Brasil
Área do terreno: 845796,00 m²
Elaboração do projeto: 2011-2012
Início das Obras: 26/07/2010

Desenho Original 3d por Castro Mello Arquitetura Esportiva, adaptado por Mais Argumento para a publicação “Boas Práticas em Manejo de Águas Pluviais”, parte do programa Soluções para Cidades da ABCP.

Página da Mais Argumento http://www.maisargumento.com.br/

Mais informações acesso Facebook da Fluxus Design Ecológico

Compartilhe: